BLEFAROPLASTIA – CIRURGIA ESTÉTICA PALPEBRAL

Os olhos são o primeiro contato entre as pessoas, e sua aparência é moldada pelas pálpebras. Infelizmente, com o tempo, as pálpebras superiores e/ou inferiores tornam-se flácidas, “caídas” e “inchadas” (devido a bolsas de gordura proeminentes) que causam um aspecto de cansaço, envelhecimento e tristeza, além de poder causar uma sensação de peso e diminuir o campo de visão. Além do tempo, fator importante que determina progressão dessas alterações são condições hereditárias (fatores de conformação facial na família), a proteção solar e o cigarro.

O que é Blefaroplastia?

O excesso de pele, frouxidão do músculo e bolsas de gordura das pálpebras podem ser removidas cirurgicamente e denomina-se blefaroplastia, a qual é realizada no centro cirúrgico sob anestesia local com sedação (procedimento realizado por médico anestesista que permanece o tempo todo na sala cirúrgica), sem a necessidade de internação nem de curativos (“tampão”).

Como é a cirurgia?

São feitas incisões (“cortes”) nas pregas naturais das pálpebras (no sulco ou dobra na pálpebra superior, e logo abaixo dos cílios nas pálpebras inferiores), que após completamente cicatrizadas ficam quase imperceptíveis. Em pacientes que apresentam apenas bolsas de gordura em pálpebras inferiores, sem excesso de pele, as incisões podem ser realizadas na parte interna da pálpebra, deixando uma cicatriz invisível, sem necessidade de sutura e denomina-se blefaroplastia transconjuntival.

Pré-operatório:

  • Realizar exames pré-operatórios solicitados e trazê-los no dia da cirurgia;

  • Medicações anticoagulantes (AAS, aspirina, bufferin, ticlid, etc.) deverão ser suspensas 10 dias antes da cirurgia sob consentimento do seu médico clínico / cardiologista.

Pós-operatório:

  • Geralmente não há dor. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos surtos de dor, estes poderão ser minimizados com o uso de analgésicos comuns;

  • Após chegar em casa, colocar compressa gelada (gaze mergulhada em soro fisiológico 0,9% gelado) a cada 30 minutos sobre as pálpebras por 48 horas após a cirurgia (não é necessário fazê-la durante o sono);

  • O edema (inchaço) dos olhos varia de paciente para paciente. Alguns já no 4º ou 5º dia apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros atingem este resultado após o 8º dia. Mesmo assim, os 3 primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existe maior edema;

  • Caso ocorra leve sangramento, colocar compressa com gelo sobre as pálpebras;

  • Caso persista o sangramento, entrar em contato com o médico;

  • Durante as primeiras 48 horas, repouso em casa (sentado ou deitado com a cabeceira elevada), podendo alimentar-se normalmente e assistir televisão;

  • Após esse período, permitido somente caminhar, evitando pegar peso, contato com poeira, vapores e calor durante 7 dias;

  • Dormir com o travesseiro sem contato com as pálpebras (barriga para cima) e não coçar com intensidade o local operado;

  • Proteger totalmente as pálpebras do sol com óculos escuros e/ou chapéu durante 1º mês, moderadamente até 3º mês, sem restrições após 6º mês, é obrigatório o uso de protetor solar nas pálpebras para que se obtenha um bom resultado estético;

  • Os pontos são retirados 7 dias após a cirurgia;

  • O resultado final ocorre em cerca de 3 a 6 meses. Entretanto, logo após o 8º dia já teremos aproximadamente 25% do resultado almejado, sendo que nas 2 ou 3 semanas subseqüente esse percentual tende a melhorar acentuadamente.

Da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular *