• obefoftalmologia

DMRI, a maior causa de cegueira após os 50 anos. Obesidade é fator de risco

Atualizado: 28 de Out de 2019




A obesidade pode favorecer o aparecimento de problemas oftalmológicos.

Um exemplo recente disso vem da Universidade de Colônia, na Alemanha, onde 1 147 vítimas da degeneração macular relacionada à idade (DMRI) foram comparadas a 1 773 pessoas livres dela.

Após observar dados sobre a forma física dos voluntários, os pesquisadores revelaram que os obesos têm um risco 44% maior de sofrer com essa doença. “Mostramos que existem hábitos além do tabagismo capazes de estimular o desenvolvimento da DMRI”, diz o oftalmologista Sascha Fauser, autor do artigo.





A Degeneração Macular Relacionada à Idade, mais conhecida pelas iniciais DMRI, é uma doença que afeta a área central da retina (mácula). Esta degeneração, como diz o nome, ocorre por conta da idade e costuma aparecer após os 60 anos. É considerada uma das principais causas de cegueira entre as pessoas da melhor idade.

A DMRI é caracterizada pelo surgimento de uma mancha (mancha central), que ocasiona uma baixa visão nesta área e dificulta diversas atividades, como a leitura.

A grande maioria (90%) dos casos de degeneração macular é classificada como DMRI seca ou não-exsudativa. Nesta forma, considerada mais branda, a degeneração da mácula ocorre de forma mais lenta.


Os outros 10% são da forma mais severa conhecida como exsudativa. A DMRI exsudativa é caracterizada pelo desenvolvimento de vasos sanguíneos anormais sob a retina, o que leva a uma perda rápida e irreversível da visão. Essa forma é a principal responsável pela grande perda visual central dos casos de degeneração macular.

Embora os danos à visão central causados pela DMRI sejam irreversíveis, sabe-se que o diagnóstico precoce e os cuidados com a saúde dos olhos podem ajudar a controlar alguns efeitos da degeneração macular.

Portanto, se você notou alguma alteração na visão central, tem pessoas na família que sofrem de DMRI ou mais de 50 anos de idade, faça os exames que detectam a doença e visite regularmente um oftalmologista.


A degeneração macular relacionada com a idade é a principal causa de cegueira em pessoas acima dos 50 anos e, numa fase precoce, é “maioritariamente assintomática, relata Inês Laíns, autora do melhor artigo científico na área da Oftalmologia da Harvard Medical School, instituição norte-americana onde desenvolve investigação há já quatro anos sobre a DMRI.


Em seu artigo, Structural Changes Associated with Delayed Dark Adaptation in Age-Related Macular Degeneration a pesquisadora relata que 69% dos pacientes que procuram auxilio médico já estão numa fase avançada da doença e já perderam a visão.


Seu estudo visa “identificar alterações sanguíneas nas amostras de sangue das pessoas com DMI, quando comparadas com pessoas da mesma idade que não a tem”. “E essas alterações variam com a evolução da doença.”

Laíns ressalta a importância das consultas oftalmológicas de rotina na prevenção da doença, pois a DMRI tem “uma prevalência enorme e consequências terríveis para a qualidade de vida dos doentes porque mesmo quem não perde a visão tem uma distorção e alterações na visão central”. “Imagina o que é viver com uma zona preta no meio do campo visual.”

3 visualizações

Av. Arouca, 791 - Centro, Passos - MG, 37900-152

Agende sua consulta: 

(35) 3522-6537

(35) 3521-6888