Entenda a Retinopatia Diabética

A diabetes é uma doença complexa e progressiva que afeta os vasos sanguíneos do olho. Um material anormal é depositado nas paredes dos vasos sanguíneos da retina que é a região conhecida como "fundo de olho", causando estreitamento e às vezes bloqueio do vaso sanguíneo, além de enfraquecimento da sua parede – o que ocasiona deformidades conhecidas como micro-aneurismas.


Estes micro-aneurismas frequentemente rompem ou extravasam sangue causando hemorragia e infiltração de gordura na retina. Existem duas formas de retinopatia diabética: exsudativa e proliferativa. Em ambos os casos, a retinopatia pode levar a uma perda parcial ou total da visão.


De acordo com a OMS, o número estimado de adultos convivendo com DM atualmente é de 422 milhões, e dados apontam que esse valor poderá alcançar mais de 590 milhões em 15 anos, fazendo dele uma das doenças mais prevalentes no mundo.


» Retinopatia Diabética Exsudativa: ocorre quando as hemorragias e as gorduras afetam a mácula, que é necessária para a visão central, usada para a leitura.


» Retinopatia Diabética Proliferativa: surge quando a doença dos vasos sanguíneos da retina progride, o que ocasiona a proliferação de novos vasos anormais que são chamados "neovasos". Estes novos vasos são extremamente frágeis e também podem sangrar. Além do sangramento, os neovasos podem proliferar para o interior do olho causando graus variados de destruição da retina e dificuldades de visão. A proliferação dos neovasos também pode causar cegueira em conseqüência de um descolamento de retina.






Causas

O diabetes melittus é o fator desencadeante desta doença, na qual o corpo humano não pode fazer uso adequado de alimentos, especialmente de açúcares. O problema específico é uma quantidade deficiente do hormônio insulina nos diabéticos.


Grupos de risco


Existem vários fatores de risco e de proteção relacionados às complicações retinianas em diabéticos. O fator mais importante relacionado à gravidade e prevalência da RD é o tempo de evolução do DM, seguido por níveis glicêmicos elevados.


As pessoas que têm diabetes apresentam um risco de perder a visão 25 vezes mais do que as que não portam a doença.


A Retinopatia Diabética atinge mais de 75% das pessoas que têm diabetes há mais de 20 anos.


Existe associação entre o controle inadequado da pressão arterial e o surgimento de RD, assim como, a nefropatia diabética pode causar anormalidades que favorecem o desenvolvimento da retinopatia.


O tabagismo leva à hipóxia retiniana, aumentando a retinopatia. Segundo alguns autores, o transplante renal e de pâncreas em diabéticos aceleram o desenvolvimento da RD. Existe relação entre a elevação do perfil lipídico com o desenvolvimento de exsudatos duros e a progressão da retinopatia.


Tratamentos

O controle cuidadoso da diabetes com uma dieta adequada, uso de pílulas hipoglicemiantes, insulina ou com uma combinação destes tratamentos, que são prescritos pelo médico endocrinologista, são a principal forma de evitar a Retinopatia Diabética. Fotocoagulação por raios laser: é o procedimento pelo qual pequenas áreas da retina doente são cauterizadas com a luz de um raio-laser na tentativa de prevenir o processo de hemorragia. O ideal é que este tratamento seja administrado no início da doença, possibilitando melhores resultados por isso é extremamente importante a consulta periódica ao oftalmologista.


E-BOOK: Acreditando que a informação é a melhor forma de prevenção, Osmar Brasileiro & Filho Oftalmologia, disponibiliza esse e-book para que você, diabético, cuide de sua saúde ocular. Para baixar, clique no ícone do PDF. Boa leitura.




Referências Bibliográficas:


PÉREZ AH, et al. Factores de riesgo en el desarrollo de la retinopatía diabética. Revista Cubana de Oftalmología, 2011; 24(1): 86-99.


Conselho Brasileiro de Oftalmologia