• obefoftalmologia

Sarampo pode atingir a córnea

A partir desta quinta-feira (22), as crianças de seis meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo em todo o país. Segundo o Ministério da Saúde, a vacinação é preventiva e deve alcançar 1,4 milhão de crianças, que não receberam a dose extra, chamada de dose zero, além das previstas no Calendário Nacional de Vacinação, aos 12 e 15 meses.

“Assim, além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral mais varicela, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses”, esclarece o ministério.

A pasta enviará 1,6 milhão de doses a mais para os estados.

O objetivo é intensificar a vacinação desse público-alvo, que é mais suscetível a casos graves e óbitos. A medida é uma resposta imediata do ministério devido ao aumento de casos da doença.

“Nós estamos preocupados com essa faixa etária porque em surtos anteriores foram as crianças menores de um ano que evoluíram para casos mais graves e óbitos. Por isso, é preciso que todas as crianças na faixa prioritária sejam imunizadas contra o vírus do sarampo, considerando a possibilidade de trânsito de pessoas doentes para regiões afetadas e não afetadas”, disse o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira.

De acordo com o ministério, o país registrou nos últimos 90 dias, entre 19 de maio a 10 de agosto deste ano, 1.680 casos confirmados de sarampo, em 11 estados: São Paulo (1.662), Rio de Janeiro (6), Pernambuco (4), Bahia (1), Paraná (1), Goiás (1), Maranhão (1), Rio Grande do Norte (1), Espírito Santo (1), Sergipe (1) e Piauí (1).

O coeficiente de incidência da doença foi de 0,80 por 100.000 habitantes.

Além de vacinar as crianças na faixa etária prioritária, o ministério, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde, também orienta estados e municípios a realizarem o bloqueio vacinal.

Ou seja, em situação de surto ativo do sarampo, quando identificado um caso da doença em alguma localidade, é preciso vacinar todas as pessoas que tiveram ou tem contato com aquele caso suspeito em até 72 horas.



Como o Sarampo pode prejudicar a Saúde Ocular


De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, nos primeiros meses de vida, antes de aparecerem erupções na pele,  o vírus do sarampo pode atingir a córnea, membrana transparente que fica na frente do olho e funciona como uma lente de 42 dioptrias.

Quando o vírus atinge a córnea provoca ceratite, inflamação  que  deve ser tratada imediatamente para não comprometer a visão.  Queiroz Neto ressalta que o sistema ocular não está totalmente formado ao nascermos e qualquer bloqueio nos primeiros anos de vida compromete o desenvolvimento da visão. O médico diz que os principais sintomas do sarampo são: conjuntivite, coriza, tosse, manchas brancas nas parte interna das bochechas, erupções na pele, mal-estar e febre. A presença desses sinais em crianças pode indicar urgência em consultar um oftalmologista.

O exame para checar se a córnea foi afetada é feito com lâmpada de fenda, equipamento que integra uma lâmpada de alta densidade luminosa a um biomicroscópio que permite checar todas as porções externas do olho. Segundo Queiroz Neto, o tratamento geralmente é feito com corticóide tópico, mas o medicamento só pode ser utilizado com supervisão médica. Isso porque, o uso prolongado pode causar glaucoma e a interrupção abrupta predispõe à reincidência da inflamação.

Para tratar o sarampo as recomendação são manter a criança em repouso, bem hidratada, limpar os olhos com compressas de água filtrada morna e consultar um pediatra para indicação de antitérmico em caso de febre. Prevenção O especialista afirma que o sarampo é uma doença infecciosa, altamente contagiosa que geralmente aparece na infância, embora também possa ocorrer entre adultos. A única forma de prevenção é através de duas doses de vacina que imuniza 97% das pessoas e devem ser tomadas antes de completar a idade de cinco anos. Adultos que não sabem se já tiveram sarampo ou se receberam as duas doses da vacina, devem procurar por vacinação.  A imunização só é contraindicada para mulheres grávidas e pessoas com baixa imunidade. Contaminação na gravidez Mulheres que contraem sarampo durante a gestação transmitem o vírus ao feto através da placenta. A transmissão pode causar, em casos raros,  encefalite, uma inflamação do encéfalo que pode ser fatal. O oftalmologista afirma que esta doença pode vir acompanhada de retinopatia aguda que exige tratamento com corticóide  oral.   Outra doença ocular congênita decorrente do vírus do sarampo é a catarata. Queiroz Neto afirma que o diagnóstico pode ser feito na maternidade pelo teste do olhinho.  O exame é feito com um oftalmoscópio que  joga luz sobre o olho do bebê. Quando a luz emite um reflexo vermelho contínuo significa que o olho é saudável. Se o reflexo for descontínuo ou não for emitido indica catarata. O tratamento é feito através de cirurgia que substitui o cristalino opaco por uma lente intraocular. O procedimento só pode ser feito a partir de 3 meses de vida. O oftalmologista ressalta que o acompanhamento médico com consultas trimestrais e o estímulo da visão pelos país é essencial para o bom desenvolvimento da visão da criança.



Fonte: LDC Comunicação


*Com informações do site do Ministério da Saúde

16 visualizações

Av. Arouca, 791 - Centro, Passos - MG, 37900-152

Agende sua consulta: 

(35) 3522-6537

(35) 3521-6888