SBP alerta sobre uso saudável das telas digitais emtempos de pandemia

Atualizado: Mar 15

Atualizado em 15 de marco de 2021


As seguidas horas diante de uma tela – seja do celular, do tablet, do computador ou da televisão – já apresentam reflexo na saúde dos olhos de crianças e adolescentes brasileiros. Uma pesquisa do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) mostra que o número de crianças que usam óculos de grau dobrou nos últimos dez anos, passando de 10% para 20%.




Segundo a UNESCO, com a pandemia, 1 Bilhão de estudantes está assistindo aulas via telas digitais, aumentando as chances de desenvolver miopia, síndrome do olho seco, lacrimejamento, vermelhidão, entre outros distúrbios que variam entre deficiência ocular, problemas físicos, emocionais e sociais.


DICA: É fundamental que a cada meia hora, o ideal é que os olhos permaneçam fechados por pelo menos cinco minutos para amenizar os sintomas.


É importante destacar que a miopia elevada pode causar problemas graves na mácula, descolamento de retina, glaucoma e catarata. A nova realidade sugere que a geração atual pode ter maior incidência dessas comorbidades no futuro, caso não haja cuidados efetivos sobre o assunto.

Segundo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2050, cerca de 52% da população mundial terá desenvolvido a doença. E apesar do relatório não ter mostrado ainda um quadro alarmante para o Brasil, ele destaca que a prevalência da miopia e da alta miopia já está avançando aqui em nosso país mais do que a média global mundial. Enquanto no âmbito mundial estima-se que entre 2020 e 2050, 49% desenvolverão a miopia, aproximadamente 596,51 milhões de pessoas; no Brasil os números projetam de 6,8 milhões casos para 12,9 milhões, ou seja, um aumento de 89%.


A Sociedade Brasileira de Pediatria lançou uma cartilha de alerta sobre o uso saudável das telas em tempos de pandemia. Baixe aqui